Mnemosinedigital

Universidade Federal de Sergipe

Banco de Dados (Patrimônio Imaterial)

(1) Título: Lambe-Sujo: dança dramática, performance e liminaridade

Autor: Marianna Francisca Martins Monteiro

Tipologia: ( X )artigo  (  )monografia  (   )dissertação (   )tese  (   )outros

Procedência institucional: Instituto de Artes- Unesp

Quantidade de Páginas:04

Resumo: O trabalho aborda manifestações como o Lambe-Sujo de Laranjeiras (SE), o Quilombo de Limoeiro (AL) , o Negro-Fugido de Sto. Amaro da Purificação (BA), enquanto  performaces de teatro de rua, reconhecidas como Dança de Quilombos, partindo para uma reflexão a partir de um registro em vídeo feito em 2003.

Palavras-chave: performance, liminaridade, dança dramática

Link de acesso:

http://www.portalabrace.org/vcongresso/textos/territorios/Marianna%20Francisca%20Martins%20Monteiro%20-%20Lambe-Sujo%20danca%20dramatica%20performance%20e%20liminaridade.pdf

(2) Título: Lambe-Sujo e Caboclinhos: Uma leitura além dos sentidos

Autor: Avelar Araujo Santos Junior

Tipologia: ( X ) artigo  (  ) monografia  (   )dissertação (   )tese  (   ) outros
Procedência institucional: Revista Ponta de Lança, São Cristóvão v.2, n. 3, out. 2008 ‐ abr. 2009. (UFS)

Quantidade de Páginas:14

Resumo: Tomando como linha interpretativa a participação dos povos indígenas na constituição dos elementos identitários da sociedade brasileira, delineamos está proposta de análise a partir das expressões observáveis e sentidas na magnitude das criações estéticas e figurativas da cultura popular, com destaque para as relações de poder e as suas representações simbólicas. Utilizando-se como exemplo elucidativo a manifestação popular Lambe-sujo e Caboclinhos esta proposta busca contribuir com novas idéias na compreensão das problemáticas dicotômicas da formação da sociedade brasileira.

Palavras-chave: povos indígenas; cultura popular; relações de poder; simbolismo

Link de acesso:
http://www.posgrap.ufs.br/periodicos/ponta_de_lanca/revistas/art4.pdf

(3) Título: A dança de São Gonçalo da Mussuca

Autor: Christiane Rocha Falcão

Tipologia: ( X ) artigo  (  ) monografia  (   )dissertação (   )tese  (   ) outros

Procedência institucional: UNIrevista – Vol. 1, n° 3 (julho 2006) – ISSN 1809-4651 (UNISINOS)

Quantidade de Páginas:11

Resumo: A Dança de São Gonçalo de Amarante no povoado Mussuca, localizado no município sergipano de Laranjeiras, é uma das manifestações folclóricas mais divulgadas e assediadas, tanto pela mídia como pelo público (aqui leia-se poder público como fomentador de eventos de difusão dessas manifestações além da sociedade civil), dentro do plano apresentações-espetáculo, cujo conteúdo simbólico esteja em congruência com o conceito de fenômeno da cultura popular sergipana. O presente estudo se propõe
a identificar dentro do culto de origem portuguesa valores culturais determinados pela Cultura Negra, possivelmente adicionados ao culto ainda no período do Brasil colonial, e tendo como abordagem a transmissão de tais valores na medida do tempo até os dias de hoje. Fatos e dados, importantes para o entendimento do processo de formação do folguedo atual, se perderam na memória individual dos participantes, mas a obediência a alguns rituais próprios da dança e de costumes negros traz à tona questionamentos a cerca da tão pregada postergação das manifestações populares rurais, principalmente.

Palavras-chave: São Gonçalo, influências afro, Sergipe.

Link de acesso: http://www.unirevista.unisinos.br/_pdf/UNIrev_Falcao.PDF

(4) Título: Dança do Quilombo: os significados de uma tradição

Autor: Demian Moreira Reis
Tipologia: ( X) artigo  (   )monografia  (   )dissertação  (  )tese  (   ) outros

Procedência institucional: Revista Afro-Ásia (UFBA); trabalho projeto de PIBIC/CNPq UNICAMP – História

Quantidade de Páginas:13

Resumo: Este trabalho se situa entre a história e a antropologia, pois é uma iniciativa de estudar uma dança de tradição negra e indígena, a dança do Quilombo de Alagoas, que entre outros significados, nos remete ao tema da escravidão no Brasil.

Palavras-chave: dança, quilombo, Alagoas

Link de acesso: http://www.afroasia.ufba.br/pdf/afroasia_n17_p159.pdf

(5) Título: Mussuca: Por uma Arqueologia de um território negro em Sergipe D’el Rey

Autor: Regina Norma de Azevedo Santana

Tipologia: (  )artigo  (   )monografia  ( X )dissertação  (   )tese (   ) outros

Procedência institucional: UFRJ – Museu Nacional/ Mestrado em Arqueologia (2008)

Quantidade de Páginas:196

Resumo: Esta dissertação valoriza a dimensão temporal e reconhece sua importância para o sentido de pertencimento das comunidades quilombolas, defendendo a arqueologia como um campo disciplinar cuja especificidade confere elementos fundamentais para a construção de versões alternativas que podem ajudar a compreender a trajetória desses grupos. É apresentado e descrito em seus aspectos materiais e simbólicos o território negro da Mussuca, em Laranjeiras, estado de Sergipe, cuja memória da escravidão é atipicamente negada pela comunidade. Sua relação de proximidade com Laranjeiras e com os engenhos produtores de açúcar no século XIX é discutida, assim como suas formas de subsistência, caminhos, lugares, casas e manifestações culturais. Esses aspectos materiais resultaram na construção de uma paisagem cultural de tal forma eloqüente, que ultrapassa e fala mais alto que essa memória negada.

Palavras-chave: Quilombo, Arqueologia da Paisagem, Arqueologia de Quilombo, Etnicidade.

Link de acesso: http://www.arqueologia.mn.ufrj.br/docs/Disserts/ReginaNorma2008.pdf

(6) Título: De José Antônio da Costa à Maninho de Zilá: representações culturais e folclóricas no Lagarto dos anos 60 e 70.

Autor: Rosana Souza Santos

Tipologia: (  )artigo  ( X  )monografia  (  )dissertação  (   )tese (   ) outros

Procedência institucional: Faculdade José Augusto Vieira/Curso de História

Quantidade de Páginas:67

Resumo: Em virtude da importância da cultura e do folclore para a construção de uma identidade cultural que quase sempre está
atrelada a figurantes, que dedicam sua vida para preservação de um Patrimônio Intangível, esses geralmente passam despercebidos pelas lentes históricas. Assim, o presente trabalho tem a finalidade de conceituar cultura e folclore, enfatizando o estado de Sergipe, mostrando a influência dos grupos folclóricos lagartense. Atentando para a contribuição, construção e desenvolvimento cultural do figurante José Antônio da Costa, alcunha Maninho de Zilá na cidade de Lagarto, mostrando sua trajetória de vida. Desde o período em que foi marceneiro, fogueteiro, fotógrafo, comerciante, locutor póstumo à folclorista. Este último sendo o objeto de estudo.

Palavras-chave: Cultura, Folclore, Patrimônio Intangível.

Link de acesso: http://www.historiadelagarto.com/arquivo01/rosana.pdf

(7) Título: O imaginário social do cangaço:  Estudo de caso da representação dos cangaceiros de Zé Padeiro no folclore de Lagarto

Autor: Júlio César do Nascimento

Tipologia: (  )artigo  ( X  )monografia  (  )dissertação  (   )tese (   ) outros

Procedência institucional: Faculdade José Augusto Vieira/Curso de História

Quantidade de Páginas: 57

Resumo: O folclore e suas manifestações estão presentes na construção da identidade social de muitas comunidades, quase sempre, buscando evidenciar o quanto ela influencia na preservação das tradições. O grupo folclórico, Os Cangaceiros, da cidade de Lagarto, que representa o município nos festivais culturais populares nacionalmente é um exemplo dessa tentativa de preservação, desde o momento de sua criação, década de 60, se apresentando nas festividades locais ou nos festivais sazonais e nacionais. Mesmo assim, passa por momentos difíceis quando se trata de tornar-se mais presente no cenário folclórico lagartense, chegando a colocar em risco sua identidade, tendendo a desaparecer. Levando em consideração o dinamismo do folclore e a importância do grupo folclórico os “cangaceiros” para a cultura de Lagarto, procurou-se identificar as causas do processo que levaram ao seu enfraquecimento, tentando visualizar estes aspectos de uma forma genérica, observando os elementos que geraram esta situação de fragilidade e os reflexos do presente. Busca-se, então, entender o que ainda mantém vivo este grupo, preservando sua tradiçã0 enquanto grupo folclórico que tem como tema central os cangaceiros. Por outro, sobre os cangaceiros torna-se imperativo um projeto que envolva de forma maciça a educação e desta forma, faça o resgate e a preservação de uma das manifestações populares da cultura local, buscando fortalecer a identidade da sociedade lagartense.

Palavras-chave: Cultura. Folclore. Tradição.

Link de acesso: http://www.historiadelagarto.com/arquivo01/Zepadeirojulio.pdf

(8)  Título:O que é patrimônio Imaterial?

Autor: Helder Alexandre Medeiros de Macedo

Tipologia: (  )artigo (   )monografia  (  )dissertação  (   )tese (  X ) outros: Cartilha

Procedência institucional: Projeto Patrimônio Cultural Potiguar em seis tempos (UNESCO/MinC/BID)/ Centro de Documentação Cultural Eloy de Souza – Fundação José Augusto. 2006.

Quantidade de Páginas:12

Resumo: O trabalho configura-se em uma cartilha ilustrada com noções básicas sobre patrimônio imaterial tendo como foco o Rio Grande do Norte, todavia abordando a legislação, os saberes populares, formas de expressão, festas e celebrações e lugares de sociabilidade.

Palavras-chave: patrimônio imaterial; potiguar; herança cultural

Link de acesso: http://www.fja.rn.gov.br/imaterial/patrimonioimaterial/docs/cartilha.pdf

(9) Título: Relações entre o patrimônio material e imaterial: o caso do cemitério japonês

Autor: Rodrigo Modesto Nascimento

Tipologia: ( X) artigo  (   )monografia  (   )dissertação  (   )tese  (   ) outros

Procedência institucional: Fênix – Revista de História e Estudos Culturais – Abril/ Maio/ Junho de 2009 Vol. 6 Ano VI nº 2 (ISSN: 1807-6971)

Quantidade de Páginas:12

Resumo: Este artigo propõe uma discussão em torno das relações entre o patrimônio imaterial e material no estudo de tombamento do Cemitério Japonês, localizado em Álvares Machado, município do interior do Estado de São Paulo. O artigo divide-se em três partes fundamentais: na primeira apresento as discussões teóricas sobre o patrimônio imaterial, em seguida analiso o tombamento estadual do Cemitério e, por fim, as relações entre o material e o imaterial.

Palavras-chave: Política de patrimônio – Memória da imigração japonesa – Patrimônio imaterial

Link de acesso:  http://www.revistafenix.pro.br/PDF19/Artigo_12_Rodrigo_Modesto_Nascimento.pdf

(10) Título: Patrimônio Imaterial Nacional: preservando memórias ou construindo histórias?

Autor: Marli Lopes da Costa; Ricardo Vieiralves de Castro

Tipologia: ( X) artigo  (   )monografia  (   )dissertação  (   )tese  (   ) outros

Procedência institucional: Revista Estudos de Psicologia 2008, 13(2), 125-131

Quantidade de Páginas:07

Resumo: Este texto tem como objetivo tecer algumas reflexões sobre a atribuição do título de Patrimônio Nacional Imaterial aos saberes, modos de fazer e viver de alguns grupos localizados em diferentes regiões do Brasil. O objeto de discussão são os bens imateriais já patrimonializados e considerados de relevância nacional para a construção da memória, da identidade e da formação da sociedade brasileira. Na tentativa de contribuir para a discussão, defendemos que a patrimonialização de bens imateriais não diz respeito somente ao registro e a preservação dos costumes, dos modos de fazer e saber de um grupo ou comunidade, mas significa uma intervenção em todo um conjunto de relações concreta e imediatamente vividas por esses grupos e comunidades. Enquanto saberes locais, costumes, modos de viver e fazer dos grupos, se enraízam e se reconstroem nos espaços a que pertencem, nas relações afetivas, nas experiências vivenciadas e nas memórias dos grupos que as mantém.

Palavras-chave: patrimônio imaterial; psicologia social; memória

Link de acesso: http://www.scielo.br/pdf/epsic/v13n2/04.pdf

(11) Título: Patrimônio Imaterial: legislação e inventários culturais. A experiência do Projeto Celebrações e Saberes da Cultura Popular

Autor: Letícia Vianna

Tipologia: ( X) artigo  (   )monografia  (   )dissertação  (   )tese  (   ) outros

Procedência institucional: Série Encontros e Estudos do Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular, nº 5.

Quantidade de Páginas:19

Resumo: O trabalho discute a relação entre a legislação e o patrimônio imaterial, refletindo sobre o Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular e a metodologia do Registro e o Inventário Nacional de Referências Culturais (INRC).

Palavras-chave: Legislação; patrimônio imaterial; folclore; INRC

Link de acesso:

http://www.cnfcp.gov.br/pdf/Patrimonio_Imaterial/Patrimonio_Imaterial_Legislacao/CNFCP_Patrimonio_Imaterial_Leticia_Vianna.pdf

(12) Título: Convenção para a Salvaguarda do Patrimônio. Cultural Imaterial

Autor: UNESCO

Tipologia: (  )artigo (   )monografia  (  )dissertação  (   )tese  ( X ) outros: Documento

Procedência institucional: Documento originalmente publicado pela UNESCO sobre o título Convention for the Safeguarding of the Intangible Cultural Heritage, Paris, 17 October 2003. Tradução feita pelo Ministério das Relações Exteriores, Brasília, 2006

Quantidade de Páginas:17

Resumo: Documento elaborado durante a 32ª sessão da UNESCO, em Paris, considerando a importância do patrimônio cultural imaterial como fonte de diversidade cultural e garantia de desenvolvimento sustentável, conforme destacado na Recomendação da UNESCO sobre a salvaguarda da cultura tradicional e popular, de 1989, bem como na Declaração Universal da UNESCO sobre a Diversidade Cultural, de 2001, e na Declaração de Istambul, de 2002, aprovada pela Terceira Mesa Redonda de Ministros da Cultura.

Palavras-chave: cultura imaterial; salvaguarda; cooperação internacional

Link de acesso: http://unesdoc.unesco.org/images/0013/001325/132540por.pdf

(13) Título: Patrimônio imaterial, performance e identidade

Autor: Letícia C. R.Vianna e João Gabriel L. C. Teixeira

Tipologia: ( X )artigo  (   )monografia  (   )dissertação  (  )tese  (   ) outros

Procedência institucional: Revista Concinnitas, ano 9, volume 1, número 12, julho 2008

Quantidade de Páginas:09

Resumo: Com o desenvolvimento recente das políticas para o patrimônio imaterial no Brasil, temos um campo em que os cientistas sociais são chamados à ação. Este texto, um exercício de reflexão sobre conceitos importantes na orientação dessas políticas, procura ressaltar a correlação entre as idéias de performance, autenticidade e identidade na elaboração de políticas públicas para o patrimônio cultural imaterial.

Palavras-chave: Patrimônio, performance, identidade

Link de acesso: http://www.concinnitas.uerj.br/resumos12/viannaeteixeira.pdf

(14) Título: Patrimônio Imaterial: uma via para a crise ecológica através da Animação Cultural

Autor: Bruno Leonardo Gomes Morais

Tipologia: ( X )artigo  (   )monografia  (   )dissertação  (  )tese  (   ) outros

Procedência institucional: UFRJ – CCS, 2007

Quantidade de Páginas:37

Resumo: A partir da vivência pratica e teórica do pesquisador com questões ligadas ao lazer, animação cultural, educação ambiental e cultura popular propõe-se uma reflexão sobre as formas de intervenção e ação da/com a população residente no entorno do Parque Nacional da Tijuca para a busca de valores /conteúdos que pudessem ser resgatados para uma melhor identificação deste publico com a floresta. Norteados pelos conceitos de Patrimônio Imaterial e Animação Cultural, e pela profunda convicção da Cultura Popular como espaço legitimador do conhecimento e que se pretende buscar as respostas para as questões surgidas no âmbito da pesquisa. Essas reflexões levam à construção de uma proposta de intervenção a partir da utilização de uma manifestação cultural de uma das comunidades como referência para a Animação Cultural.

Palavras-chave: animação cultural; cultura popular; ecologia

Link de acesso: http://www.terrabrasil.org.br/noticias/materias/patrimaterial.pdf

(15) Título: Patrimônio Imaterial, Performance e Identidade

Autor: Letícia C. R.Vianna e João Gabriel L. C. Teixeira

Tipologia: ( X )artigo  (   )monografia  (   )dissertação  (  )tese  (   ) outros

Procedência institucional: Anais do Seminário Politicas Culturais: teoria e práxis/ Casa de Rui Barbosa, 2010

Quantidade de Páginas:12

Resumo: Com a legislação e o desenvolvimento recente das políticas para o patrimônio imaterial no Brasil, temos um campo onde os cientistas sociais são chamados à ação. Este texto é um exercício de reflexão sobre conceitos importantes na orientação dessas políticas. Aqui, procura-se ressaltar a correlação entre as ideias de performance, autenticidade e identidade na elaboração de políticas públicas para o patrimônio cultural imaterial. A fim de equacionar os dois termos – autenticidade e identidade – no contexto das políticas públicas para o patrimônio imaterial, considera-se o conceito de performance mais que apenas operacional.

Palavras-chave: Patrimônio Imaterial; Identidade; políticas culturais.

Link de acesso:

http://culturadigital.br/politicaculturalcasaderuibarbosa/files/2010/09/24-LET%C3%8DCIA-C.R.-VIANNA.1.pdf

(16) Título: Levantamento do Patrimônio Imaterial no Rio Grande do Norte

Autor: Helder Alexandre Medeiros de Macedo

Tipologia: ( X )artigo  (   )monografia  (   )dissertação  (  )tese  (   ) outros

Procedência institucional:Anais do XIII EEPH/ANPUH-PB

Quantidade de Páginas:12

Resumo: Este trabalho apresenta os resultados do Subprojeto Patrimônio Imaterial, vinculado ao Projeto Patrimônio Cultural Potiguar em Seis Tempos (UNESCO/Monumenta/BID/MinC/IPHAN/Governo do Estado do RN/Fundação José Augusto/IGETUR), desenvolvido em 2006, cujo objetivo era de proceder a um inventário dos bens culturais do Rio Grande do Norte com finalidade de divulgação turística. A pesquisa, que tomou como base a metodologia de trabalho do IEPHA/MG a discussão sobre patrimônio cultural empreendida por Carlos Lemos, Roque Laraia e Márcia Sant’Anna, teve como etapas levantamento bibliográfico, sondagem das manifestações do patrimônio imaterial, preenchimento de fichas de
registro e consolidação da documentação iconográfica. Foram inventariadas cerca de 145 manifestações do patrimônio imaterial no território potiguar, cujas informações encontram-se publicadas no site http://www.fja.rn.gov.br/imaterial/patrimonioimaterial/index.htm.

Palavras-chave: Patrimônio imaterial, Rio Grande do Norte, inventário

Link de acesso:

http://www.anpuhpb.org/anais_xiii_eeph/textos/ST%2013%20-%20Helder%20Alexandre%20Medeiros%20de%20Macedo%20TC.PDF

(17) Título: Ayahuasca, um patrimônio imaterial da cultura brasileira

Autor: Ary G Silva

Tipologia: ( X )artigo  (   )monografia  (   )dissertação  (  )tese  (   ) outros

Procedência institucional: Copyright © 2008 do(s) autor(es). Publicado pela ESFA. Silva AG (2008) Ayahuasca, um patrimônio imaterial da cultura brasileira. Natureza on line 6 (2): 109-110. [on line] http://www.naturezaonline.com.br

Quantidade de Páginas:02

Resumo: A Ayahuasca é um chá obtido, geralmente, através da decocção de duas espécies vegetais endêmicas da floresta amazônica: um cipó da família Malpighiaceae, Banisteriopsis caapi (Spruce ex Griseb.) C.V. Morton, que contém derivados
beta-carbolínicos. Além do consumo da mistura entre as populações indígenas, vários grupos religiosos adotaram o uso da ayahuasca em rituais, especialmente no Brasil, onde os efeitos psicoativos são acoplados a conceitos das doutrinas Judaica, Cristã, Africana, entre outras.

Palavras-chave: chá; religiosidade; cultura imaterial

Link de acesso: http://www.naturezaonline.com.br/natureza/conteudo/pdf/11_SilvaAG_109110.pdf

(18) Título: Patrimônio Imaterial e Patrimônio Cultural

Autor: FUNAI

Tipologia: (  )artigo  (   )monografia  (  )dissertação  (   )tese (  X ) outros: Documento/Legislação

Procedência institucional: FUNAI

Quantidade de Páginas:25

Resumo: Trata da Legislação e decretos relacionados  ao patrimônio imaterial e cultural, Ministério da Cultura, IPHAN e Fundação Palmares.

Palavras-chave: legislação; patrimônio imaterial; institucional

Link de acesso: http://www.funai.gov.br/projetos/Plano_editorial/Pdf/Legisl/capitulo-10.pdf

(19) Título: Saberes tradicionais e patrimônio imaterial – interfaces e instrumentos para sua gestão e proteção: da Museologização à mercantilização?

Autor: Enio Antunes Rezende; Fábio Pedro S. de F. Bandeira

Tipologia: ( X) artigo  (   )monografia  (   )dissertação  (  )tese  (   ) outros

Procedência institucional: Anais 12º SEMINÁRIO NACIONAL DE HISTÓRIA DA CIÊNCIA E DA TECNOLOGIA (SBHC)

Quantidade de Páginas:20

Resumo: O trabalho aborda a contribuição cognitivo-cultural das populações tradicionais para o processo civilizatório brasileiro e a discussão de sua gestão, uso e apropriação que são pautadas hoje, destacadamente, por duas convenções internacionais, a saber: a Convenção da Diversidade Biológica e a Convenção para Salvaguarda do Patrimônio Imaterial.

Palavras-chave: saberes tradicionais; bens imateriais; salvaguarda

Link de acesso: http://www.ppga.ufba.br/Rezende_Bandeira_12SNHCT.pdf

(20) Título: Conclusões Seminário Património Imaterial

Autor: Filipe Themudo Barata

Tipologia: (  )artigo  (   )monografia  (  )dissertação  (   )tese  (  X ) outros: Relatório

Procedência institucional: Universidade de Évora – Portugal

Quantidade de Páginas:06

Resumo: O presente texto apresenta as principais conclusões decorrentes do seminário internacional dedicado ao tema do Património Cultural Imaterial (PCI)que teve lugar em Évora no dia 22 de Junho de 2007. Intitulado “O Património Cultural Imaterial e o papel das instituições públicas na implementação de inventários”, o encontro reuniu cerca de 30 profissionais em torno desta discussão.

Palavras-chave: patrimônio imaterial; inventário; preservação; ecomuseus; marketing cultural

Link de acesso:

http://www.cidehus.uevora.pt/textos/actas/medins07/13-Conclusoes-(PT).pdf

(21) Título: Os mediadores do patrimônio imaterial.

Autor: Lucieni de Menezes Simão

Tipologia: ( X) artigo  (   )monografia  (   )dissertação  (  )tese  (   ) outros

Procedência institucional: Revista Sociedade e Cultura, janeiro-junho, ano/vol.6, nº 001, UFG, 2003/ Red de Revistas Científicas de América Latina y el Caribe, España y Portugal/ Universidad Autónoma del Estado de México

Quantidade de Páginas:13

Resumo: Este artigo propõe uma reflexão quanto aos limites dos atuais instrumentos de salvaguarda e preservação do patrimônio imaterial. Orientados pelas reflexões da antropologia, levantamos questões relativas aos direitos autorais coletivos e ao retorno dos benefícios obtidos pelo registro do patrimônio imaterial. A devolução dos resultados também implica uma questão discursiva. Portanto, vamos comparar duas experiências institucionais: a primeira, proposta pelo Museu do Índio, sobre o registro da pintura corporal dos índios W ajäpi do Amapá. A segunda, sobre o projeto Celebrações e Saberes da Cultura Popular, do Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular. Seguem-se daí as indações sobre as maneiras de se aperfeiçoar os mecanismos de registro e demais políticas públicas de salvaguarda.

Palavras-chave: patrimônio imaterial; inventário e registro; antropologia

Link de acesso: http://redalyc.uaemex.mx/pdf/703/70360107.pdf

(22) Patrimônio imaterial: marcos, referências, políticas públicas e alguns dilemas

Autor: Simone Toji

Tipologia: ( X) artigo  (   )monografia  (   )dissertação  (  )tese  (   ) outros

Procedência institucional: Revista Patrimônio e Memória. UNESP – FCLAs – CEDAP, v. 5, n.2, p. 11-26 – dez. 2009

Quantidade de Páginas:16

Resumo: Recuperando alguns marcos e referências históricas de ações dentro do campo da cultura e do patrimônio, o presente texto visa trazer subsídios para discutir a atual política de patrimônio imaterial no Brasil e apontar alguns dilemas e desafios colocados ao Estado e à sociedade sobre a questão.

Palavras-chave: Patrimônio Cultural, Patrimônio Imaterial, Política Pública

Link de acesso:

http://www.assis.unesp.br/cedap/patrimonio_e_memoria/patrimonio_e_memoria_v5.2/artigos/patrimonio_imaterial%20f.pdf

(23) Título: Patrimônio Cultural Imaterial (Ensaio)

Autor: Marcello Polinari

Tipologia: ( X) artigo  (   )monografia  (   )dissertação  (  )tese  (   ) outros

Procedência institucional: Anais do XI Encontro Regional da Associação Nacional de História – ANPUH/PR – “Patrimônio Histórico no Século XXI”, Jacarezinho, dos dias 21 a 24 de Maio de 2008. ISSN: 978-85-61646-01-1

Quantidade de Páginas:05

Resumo: Quase todo patrimônio cultural é composto pela cultua imaterial da qual uma parcela ínfima se materializa em objetos tangíveis. A gestão do patrimônio imaterial depende da facilitação da continuidade do modo de vida das culturas que tornam vivo este patrimônio imaterial.

Palavras-chave: Patrimônio; Cultura; Cultura Material, Cultura Imaterial.

Link de acesso:

http://www.pr.anpuh.org/resources/anpuhpr/anais/xiencontro/MesaPat01.pdf

(24) Título:  Inventário do Patrimônio Imaterial de Carnaúba dos Dantas IV: Lugares de Sociabilidade.

Autor: Helder Alexandre Medeiros de Macedo

Tipologia: ( X) artigo  (   )monografia  (   )dissertação  (  )tese  (   ) outros

Procedência institucional: Mneme – Revista de Humanidades [ Dossiê Cultura, Tradição e Patrimônio Imaterial, org. Helder Alexandre Medeiros de Macedo ]. Caicó (RN), v. 7. n. 18, out./nov. 2005. p. 226-58. Bimestral. ISSN 1518-339. Disponível em http://www.seol.com.br/mneme.

Quantidade de Páginas:33

Resumo: Apresenta os resultados do Projeto Cultural Carnaúba dos Dantas: Inventário do Patrimônio Imaterial de uma Cidade do Sertão do Rio Grande do Norte – PRONAC 043906, coordenado por Helder Alexandre Medeiros de Macedo e com financiamento da PETROBRAS, através do Programa Petrobras Cultural, contando com apoio do Ministério da Cultura, Programa Nacional de Cultura, Universidade Federal do Rio Grande do Norte e Governo do Estado do Rio Grande do Norte. Demonstra, aqui, as fichas de cadastro das manifestações do patrimônio cultural de ordem intangível, vinculadas ao eixo temático dos Lugares de Sociabilidade.

Palavras-chave: Seridó, Carnaúba dos Dantas, Patrimônio Imaterial

Link de acesso: http://www.periodicos.ufrn.br/ojs/index.php/mneme/article/view/324

http://www.cchla.ufrn.br/tapera/inventarios/carn4.pdf

(25) Título: Jongo: Patrimônio Imaterial do Brasil e a Comunidade São José da Serra

Autor: Debora Simões de Souza

Tipologia: ( X) artigo  (   )monografia  (   )dissertação  (  )tese  (   ) outros

Procedência institucional: CAOS – Revista Eletrônica de Ciências Sociais Número 16 – Março de 2011, Pág. 301- 314.(ISSN:1517 – 6916)

Quantidade de Páginas:14

Resumo: Este texto procura analisar aspectos do Jongo como Patrimônio Imaterial do Brasil, tal como suas características que o levaram a eleição do Jongo no Sudeste e outras partes desse processo que culminou com o recebimento do título. Buscando salientar as pluralidades e singularidades dessa prática, tão comum no século XIX, nas regiões cafeeiras do Vale do Paraíba e que atualmente são comunidades e fazendas que passam por processo de valorização dessa cultura negra, através do turismo cultural, como é o caso da Comunidade São José da Serra. Este artigo visa trabalhar com: relatos de integrantes da Comunidade; um trabalho de campo; documentação do processo – já citado – dialogando com uma bibliografia interdisciplinar sobre o tema.

Palavras-chave: Jongo, Patrimônio Imaterial, Comunidade São José da Serra.

Link de acesso:

http://www.cchla.ufpb.br/caos/n17/20.%20SOUZA,%20D%20JOngo%20Patrimonio%20Imaterial%20Cultural%20artigo%20UFPB%20301-.pdf

(26) Título: Imagem e reconhecimento: a tradição doceira pelotense como patrimônio imaterial

Autor: Flávia Maria Silva Rieth; Marília Floor Kosby; Tiago Lemões da Silva

Tipologia: ( X) artigo  (   )monografia  (   )dissertação  (  )tese  (   ) outros

Procedência institucional: Anais RAM, UNASAM – Argentina, 2009.

Quantidade de Páginas:12

Resumo: A presente pesquisa, denominada INRC – Produção de Doces Tradicionais Pelotenses, visa identificar e reconhecer a tradição doceira pela qual é nacionalmente conhecida a cidade de Pelotas, localizada no extremo sul do Brasil. Como bem cultural expressivo de uma comunidade, o doce pelotense passou então a ser alvo dessa pesquisa.

Palavras-chave: doces; INRC; Pelotas

Link de acesso:

http://www.ram2009.unsam.edu.ar/GT/GT%201%20%E2%80%93%20Practicas%20Alimentarias%20e%20Intervenciones%20Antropol%C3%B3gicas.%20La%20Antropolog%C3%ADa%20de%20la%20Alimentaci%C3%B3n%20en/GT1-Ponencia%5BSilva-Floor-Lemoes%5D.pdf

(27) Título: “Pecados de Heresias”: Trajetória do Concretismo Carioca

Autor: Sabrina Marques Parracho Sant’Anna

Tipologia: ( X) artigo  (   )monografia  (   )dissertação  (  )tese  (   ) outros

Procedência institucional: Instituto de Filosofia e Ciências Sociais – UFRJ

Quantidade de Páginas: 16

Resumo: A questão que a autora coloca para este artigo é, a saber, de que modo o núcleo concretista carioca se define socialmente, construindo um projeto para o futuro. Trata-se, por um lado, de saber de que forma o grupo se constrói como movimento dotado de visões de mundo coletivas orientadas para um destino comum; e de entender, por outro, que projeto de modernidade este grupo concebe. Vale perguntar como estes atores de múltiplas trajetórias constroem, para além das identidades a priori, vínculos sócias capazes de criar um sentido de pertencimento e visões de mundo coletivas.

Palavras-chave: Concretista, Grupo Frente, Arte Moderna.

Link de acesso:

http://www.ifcs.ufrj.br/~nusc/sa_cfch.pdf

(28) Título: A Pintura Baiana na Transição do Barroco ao Neoclássico

Autor: Suzana Alice Silva Pereira

Tipologia: ( X ) artigo  (   )monografia  (  )dissertação  (  )tese  (   ) outros

Procedência institucional: Cadernos do MAV – EBA – UFBA. PPGAV 4,  ano 4, n. 4, 2007, p. 19 – 28

Quantidade de Páginas: 10

Resumo: A dissertação “A pintura baiana na transição do Barroco ao Neoclássico” investigou a pintura que se produzia na Bahia do Neoclássico, relacionando essa produção com a transição vivenciada pela sociedade baiana naquele período. Tratou-se de
circunstanciar aquela pintura, como base na premissa de que ali se revelam as visões de mundo de então. A investigação no campo visual, portanto, se mesclou à do ambiente humano onde foram gestadas as obras filiadas aos dois modelos, de forma a identificar as mudanças de mentalidades, sensibilidades expressões que impulsionam a sociedade baiana oitocenntista.

Palavras-chave: Pintura baiana; Produção; Transição; Sociedade baiana oitocentista.

Link de acesso:

http://www.portalseer.ufba.br/index.php/cppgav/article/view/3963/2907

(29) Título: Da França ao Brasil: Debret com pintor de história da Coroa Portuguesa

Autor: Tatiana Azevedo da Silva

Tipologia: ( X ) artigo  (   )monografia  (  )dissertação  (  )tese  (   ) outros

Procedência institucional: Anais do II Encotro Nacional de Estudos da Imagem. Londrina – PR, maio de 2009, p. 1250 – 1258.

Quantidade de Páginas: 09

Resumo: O presente artigo trata acerca do papel histórico do artista Jean-Baptiste Debre como pintor oficial da Coroa portuguesa, com vista a analisar quais são as intenções de Debret ao desembarcar no Rio de Janeiro, e qual o caráter de suas aquarelas, referentes ao imperador D. João VI. Uma parte dos questionamentos perpassa o próprio conceito de “Missão Artística” atribuída aos franceses integrantes da colônia organizada por Lebreton em 1816. Quais seriam os papéis dos artistas com os objetivos da Coroa portuguesa, especialmente Debret em relação a D. João VI.

Palavras-chave: Jean-Baptiste Debret; D. João VI; relações de poder.

Link de acesso:

http://www.uel.br/eventos/eneimagem/anais/trabalhos/pdf/Silva_Tatiana%20Azevedo%20da.pdf

(30) Título: Arte Religiosa Afro-Brasileira: as múltiplas estéticas da devoção brasileira

Autor: Vagner Gonçalves da Silva

Tipologia: ( X ) artigo  (   )monografia  (  )dissertação  (  )tese  (   ) outros

Procedência institucional: Debates do NER, Porto Alegre, ano9, n. 13, p. 97 – 113, jan/jun 2008

Quantidade de Páginas: 17

Resumo: Neste artigo apresento uma introdução ao campo das artes religiosas afro brasileiras, enfocando o Candomblé e a Umbanda. Argumento que os diálogos entre as tradições estéticas do catolicismo português e as das religiões africanas foram
fundamentais para a constituição deste campo. Outra característica importante ressaltada é o entrelaçamento dos planos estético, sagrado e profano existente tanto nos domínios dos espaços públicos como privados onde esta arte é encontrada.

Palavras-chave: arte religiosa afro-brasileira, Candomblé, Umbanda, estética.

Link de acesso:

http://www.fflch.usp.br/da/vagner/arteafro.pdf

(31) Título:Educação dos Sentidos

Autor: Ingrid Bôer Benetti

Tipologia: ( X ) artigo  (   )monografia  (  )dissertação  (  )tese  (   ) outros

Procedência institucional: UNISAL – Americana.  p. 1 – 19.  São Paulo, 2009.

Quantidade de Páginas: 19

Resumo: O termo: “Educação através da arte” foi criada por Hebert Read em 1943. Trata-se de uma educação baseada naquilo que se sente. A arte-educação não significa o treino para alguém se tornar um artista, não significa a aprendizagem de uma técnica, e sim uma educação que permita maior sensibilidade para com o mundo que cerca cada um. A pesquisa enfoca um momento em que a educação acontece em outros espaços fora da escola, como as visitações a lugares públicos como museus, teatros, parques e outros ou até mesmo Organizações não governamentais (Ong’s) – trata-se da educação não-formal. A pergunta fundadora da pesquisa é saber como a arte (pintura) educa os sentidos. A coleta de dados acontecerá no espaço da educação não-formal – museus de arte, que serão dois: Museu do Louvre (Paris) e Pinacoteca do Estado de São Paulo (São Paulo), dois museus de grande importância, um por ser o maior e mais importante do mundo e o outro por ser o mais antigo de São Paulo. As vozes desse trabalho serão os visitantes dos museus. No museu do Louvre: A jovem mártir de Paul Delaroche(1797-1856), A Jangada do ” Medusa” de Théodore Géricault (1791-1824) e A Liberdade guiando o povo de Eugène Delacroix (1798-1863). Todas pinturas francesas Românticas do século XIX. Na Pinacoteca do Estado: Benedito Calixto – Baía de São Vicente, 1911, José Ferraz de Almeida Junior – Leitura, 1892 e Pedro Alexandrino – Cozinha na Roça, 1894. Todas pinturas brasileiras. Durante a vida o homem constrói conhecimento estético. É possível entender que a educação estética possui várias formas de leituras, de fruição que podem ser dirigidas às pessoas, tanto a partir de seu cotidiano como de obras de Arte. Compreender o contexto dos materiais utilizados, das propostas, das pesquisas dos artistas é poder conceber a Arte não só como um fazer, mas também como uma forma de pensar em e sobre Arte.

Palavras-chave: Arte-educação, educação em museus e Educação não-formal.

Link de acesso:

http://www.am.unisal.br/pos/stricto-educacao/jornada/2009/trabalhos/txt_Ingrid%20Boer%20Benetti.pdf

(32) Título: O Artista como Trabalhador: Mercado e Profissionalismo nas Artes Visuais

Autor: César Romero

Tipologia: ( X ) artigo  (   )monografia  (  )dissertação  (  )tese  (   ) outros

Procedência institucional: Salão Semear Aracaju/SE, 2010

Quantidade de Páginas: 12

Resumo: O artista é um trabalhador como outro qualquer. Apenas lida com um produto sensível. Nem melhor, nem pior que outros profissionais. O que lhe dá importância é o produto final, o trabalho concluído e seu poder causador. Arte é invenção de linguagem. Tempo e aprendizagem levam à criação de um idioleto, códigos específicos de um artista criador. Cada artista é refém do seu fazer. Marca autoral, grafia e pensar. No mercado de arte cabem profissionais de muitas áreas de atuação, que no percurso deste texto foram ou serão citados. Procuraremos salientar alguns por puro gosto pessoal. Assim, pequenos enfoques serão dados a museólogos, museus, críticos de arte, patrimônio cultural imaterial e, ainda, à moda, por ser pouco estudada e crível.

Palavras-chave: Artista; Artes Visuais; Críticoa de arte; Museólogo; Museus; Patrimônio cultural imaterial.

Link de acesso:

http://salaosemear.vilabol.uol.com.br/cesarromero.pdf

(33) Título: DO PATRIMÔNIO CULTURAL MATERIAL AO IMATERIAL: A INCLUSÃO NA PROTEÇÃO JURÍDICA AOS MODOS DE CRIAR, FAZER E VIVER EXPRESSADOS NA MUSICALIDADE.

Autor:  Moysés Alencar de Carvalho; Fernando Antonio de Carvalho Dantas.

Tipologia: ( X ) artigo  (   )monografia  (  )dissertação  (  )tese  (   ) outros

Procedência institucional: XV Congresso Nacional do CONPEDI – Manaus. DATA: 15, 16, 17, e 18 de Novembro de 2006. ISBN: 978-85-87995-80-3

Quantidade de Páginas: 18

Resumo: A proteção ao patrimônio cultural na legislação brasileira restringia-se primordialmente aos bens materiais de origem eurocentrista, monumentos que coroavam a história da elite dominante no país. O instituto utilizado para tal fim era o do tombamento, que graças a algumas características não era dotado da capacidade de proteger o patrimônio cultural de outros grupos sociais brasileiros, como os afro-descendentes e os índios. Sendo mais abrangente e explícita que no decreto-lei 25/37, que trata do tombamento, a Constituição Federal de 1988 ampliou a proteção ao patrimônio cultural imaterial dos diversos grupos formadores da sociedade nacional, garantindo assim proteção ao patrimônio cultural daqueles que se encontravam à margem das políticas de proteção e conservação estatais. Em seu art. 216, II, a Carta Magna listou ainda os bens culturais que melhor representam e garantem a dinâmica cultural de qualquer grupo social – os modos de criar, viver e fazer - sendo esses os responsáveis pela produção dos demais bens culturais, além de se mostrarem, muitas vezes, como o único patrimônio cultural de alguns grupos.

Palavras-chave: PROTEÇÃO JURÍDICA; CULTURA; PATRIMÔNIO CULTURAL; IMATERIAL; IDENTIDADE.

Link de acesso:

http://www.conpedi.org.br/manaus/arquivos/anais/bh/fernando_antonio_de_carvalho_dantas2.pdf

(34) Título: Exposição Patrimônio Imaterial Mato-Grossense

Autor: Museu de Arte e de Cultura Popular/ Centro Cultural – UFM

Tipologia: (  ) artigo  (   )monografia  (  )dissertação  (  )tese  ( X  ) outros: Catálogo

Procedência institucional: Museu de Arte e de Cultura Popular/ Centro Cultural – UFM

Quantidade de Páginas: 12

Resumo: Catálogo de exposição “Patrimônio Imaterial de Mato Grosso” que se constitui na segunda etapa do projeto de pesquisa “Inventário do Patrimônio Imaterial Mato-Grossense” realizado pelo Museu Rondon /Departamento de Antropologia da UFMT, em parceria com a Fundação UNISELVA e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Para se chegar aos resultados expostos nesta exposição, a equipe de pesquisa inventariou, em nove acervos mato-grossenses (situados em Cuiabá), os bens culturais que, estando inscritos em documentos, se constituem atualmente em patrimônio imaterial do Estado de Mato Grosso.

Palavra-chave:  exposição;  Inventário do Patrimônio Imaterial;  acervos mato-grossenses.

Link de acesso:

http://www.ufmt.br/ufmt/site/userfiles/eventos/43c314d11d771e5527df2c084a3c11c3.pdf

(35) Título:  A imaterialidade do patrimônio cultural e a lei Robin Hood: a inserção da categoria imaterial do patrimônio como pontuação para o repasse de ICMS cultural em Minas Gerais.

Autor: Yussef Daibert Salomão de Campos

Tipologia: ( X ) artigo  (   )monografia  (  )dissertação  (  )tese  (   ) outros.

Procedência institucional:  Revista CPC, São Paulo, n.11, p. 87-102, nov. 2010/abr. 2011

Quantidade de Páginas: 16

Resumo: O presente trabalho visa desenvolver um breve estudo sobre a importância do patrimônio imaterial e sua relação com o ordenamento jurídico brasileiro, tanto na esfera federal quanto na mineira. Busca, através de uma contextualização internacional e interna do patrimônio imaterial, o entendimento da importância do bem cultural em estudo, demonstrando, assim, a real necessidade de sua promoção e salvaguarda. Pretende tratar da relação da legislação mineira com o patrimônio imaterial, sobretudo a Lei Robin Hood, recentemente objeto de modificação pela Lei 18030 de 2009.

Palavras-chave: Patrimônio imaterial. Lei Robin Hood. ICMS cultural.

Link de acesso:

http://www.revistasusp.sibi.usp.br/pdf/cpc/n11/05.pdf

(36) Título:  Quilombolas de Conceição das Crioulas.  Salgueiro, Pernambuco.

Autor:  Associação Quilombola de Conceição das Crioulas – AQCC

Tipologia: (  ) artigo  (   )monografia  (  )dissertação  (  )tese  ( X  ) outros: Cartilha.

Procedência institucional:  Projeto Nova Cartografia Social dos Povos e Comunidades Tradicionais do Brasil. n. 6. Brasília, DF, abril 2007, ISSN: 85-86037-20-6./ UPE; UFPE.

Quantidade de Páginas: 12

Resumo:  Na sua trajetória de existência a comunidade de Conceição das Crioulas tem sofrido várias formas de repressão, exclusão e omissão da sua história. Mas a coragem e a resistência do seu povo, principalmente das mulheres, fi zeram com que essa história não fosse “apagada” e sim transmitida e fortalecida, através das gerações. A partir das pessoas mais velhas e da escola, essa história foi recontada e os seus moradores e moradoras começam a reafirmar e fortalecer sua identidade de povo negro e a sentirem orgulho de pertencer a uma comunidade que lutou para resistir à opressão a que foi imposta.

Palavras-chave: comunidade de Conceição das Crioulas; resistência;  cultura imaterial.

Link de acesso:

http://biblioteca.inga.ba.gov.br/phl82/img/arquivo/38_mma_06_conceicaoCrioulas.pdf

(37) Título: Novos movimentos sociais no sul do Brasil: a afirmação territorial dos povos e comunidades tradicionais a partir da cartografia social.

Autor: Marina Eduarda Armstrong de Oliveira; Renato Alves Ribeiro Jr.

Tipologia: ( X ) artigo  (   )monografia  (  )dissertação  (  )tese  (   ) outros.

Procedência institucional:  Anais do IV Simpósio Lutas Sociais na América Latina ISSN: 2177-9503/ Imperialismo, nacionalismo e militarismo no Século XXI/ 14 a 17 de setembro de 2010, Londrina, UEL.

Quantidade de páginas: 11

Resumo: Caracterizaremos a Cartografia Social, então contextualizaremos os Povos e Comunidades Tradicionais dentro dos Novos Movimentos Sociais a partir do exemplo dos Cipozeiros de Santa Catarina e Paraná e, finalmente, discutiremos a juridicialização da luta dessas Comunidades a partir do exemplo dos Pescadores Artesanais do litoral paranaense.

Palavras-chave: Cartografia Social; Povos e Comunidades Tradicionais;   Cipozeiros de Santa Catarina e Paraná; Pescadores Artesanais.

Link de acesso:

http://www.uel.br/grupo-pesquisa/gepal/anais_ivsimp/gt1/7_marinaarmstrong.pdf

(38) Título: Pesca e Política: Análise das Políticas Governamentais que focalizam a pesca na Bacia do Rio Madeira e seus efeitos sobre a lógica dos Pescadores Artesanais.

Autor: Gláucia Maria Quintino Baraúna.

Tipologia: ( X) artigo  (   )monografia  (   )dissertação  (   )tese  (   ) outros

Procedência institucional: VIII Reunión de Antropología del Mercosur (RAM), “Diversidad y poder en América Latina”, Buenos Aires, Argentina/29 de septiembre al 2 de octubre de 2009.

Quantidade de Páginas:14

Resumo: O artigo que apresentamos é resultado da pesquisa que realizamos nos municípios de Humaitá-AM e em Porto Velho-RO, no âmbito do projeto de pesquisa intitulado Transformações Socioeconômicas no Rio Madeira desenvolvido pela equipe de pesquisadores do Projeto Nova Cartografia Social da Amazônia na qual faço parte. Na referida região, também desenvolvo as pesquisas para minha dissertação de mestrado e é o lócus que defini como área a ser analisada, dada as transformações recorrentes a partir das políticas governamentais que são impostas aos vários segmentos sociais que se encontram nos respectivos municípios. Neste artigo abordaremos aspectos relacionados ao modo de vida dos “ribeirinhos” do Rio Madeira e sobre os principais fatores que permeiam as relações sociais existentes no campo que nos dispomos a analisar. E na tentativa de problematizar de que maneira a pesca, que se configura como uma das principais atividades para os agentes da pesquisa, será afetada, considerando as políticas governamentais que priorizam a calha do Rio Madeira como eixo de investimentos.

Palavras-chave: Humaitá-AM;  Porto Velho-RO; modo de vida dos “ribeirinhos”; pesca.

Link de acesso:

http://www.ram2009.unsam.edu.ar/GT/GT%2047%20%E2%80%93%20Globalizaci%C3%B3n%20y%20An%C3%A1lisis%20Comparado%20de%20las%20Antropolog%C3%ADas%20del%20Norte%20y%20del%20Sur.%20Perspectivas%20Dia/GT%2047-%20Ponencia%20%5B%20Barauna%5D.pdf

(39) Título: Pesca artesanal no médio e baixo rio Tietê (São Paulo, Brasil): pontos de desembarque e estimativa de número de pescadores.

Autor: Paula Maria Gênova de Castro; Lidia Sumile Maruyama; Patricia de Paiva

Tipologia: ( X) artigo  (   )monografia  (   )dissertação  (   )tese  (   ) outros

Procedência institucional: Revista Bioikos, Campinas, 22(1):15-27, jan./jun., 2008.

Quantidade de Páginas:14

Resumo: Os principais pontos de desembarque foram identificados ao longo do Médio e Baixo Tietê, nas seis represas dispostas em cascata na região: Barra Bonita, Bariri, Ibitinga, Promissão, Nova Avanhandava e Três Irmãos. Foi estimado o número de pescadores artesanais, regularmente atuantes na região, no período de maio a dezembro de 2001. A metodologia empregada foi a denominada “bola de neve”, na qual as informações dos pescadores reportam à localização de outros, sucessivamente. Preliminarmente, para tanto, recorreu-se à consulta a pescadores tradicionais, Colônia de Pescadores e Polícia Ambiental, estabelecendo-se um contingente amostral de 202 pescadores. Após a localização dos pontos, estes foram identificados geograficamente através de um Global Positioning System que permitiu posteriormente a plotagem em mapas georeferenciados através do aplicativo ArcGIS versão 9.0, empregando-se a base cartográfica digital do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Foram identificados 47 principais pontos de desembarque e estimado uma população de 822 pescadores, onde estes estavam distribuídos em 32 municípios de forma dispersa. A intensidade de pesca (ind./km2) mostrou uma tendência declinante de Barra Bonita (1,18 pescador/km2) para Três Irmãos (0,22 pescador/km2). Os problemas e conflitos elencados pelos pescadores dizem respeito, principalmente, ao turismo, estrago e roubo de redes. As soluções relacionadas, tanto do Médio como do Baixo Tietê foram semelhantes, sendo que mais de 65% das respostas, no seu conjunto, envolviam questões ligadas a um maior apoio do governo quanto a melhoria da atividade em relação à infra-estrutura de desembarque, limpeza/comercialização do pescado; disponibilização de áreas para ranchos de pesca próximas ao rio/reservatório, assim como a criação de cooperativas, alternativa que poderia melhorar tanto o preço como a comercialização do pescado, bem como à integração entre os pescadores.

Palavras-chave: Mapeamento da pesca. Médio e Baixo rio Tietê. Pesca artesanal profissional.

Link de acesso:

http://www.puc-campinas.edu.br/centros/ccv/Bioikos/artigos/v22n1a2.pdf

(40) Título:  Descobrimento versus encobrimento: opções para o patrimônio intangível

Autor: Irmina Anna Walczak

Tipologia: ( X) artigo  (   )monografia  (   )dissertação  (   )tese  (   ) outros

Procedência institucional: VIII Reunión de Antropología del Mercosur (RAM), “Diversidad y poder en América Latina”, Buenos Aires, Argentina/29 de septiembre al 2 de octubre de 2009.

Quantidade de Páginas:14

Resumo: Patrimônio imaterial tem tudo para se tornar um grande aliado na descoberta da América. E não somente da América, mas de todo o hemisfério sul com a diversidade e riqueza de suas culturas, merecedoras de reconhecimento planetário. No entanto, no seu horizonte ergue-se uma outra opção, a de encobrimento. É sobre essas possibilidades e possíveis caminhos que levam até lá que nos propomos a discutir durante esta comunicação, dividindo-a, por ordem lógica, em quatro partes. Na primeira, o nosso olhar será direcionado ao surgimento do patrimônio intangível na cena internacional e suas interligações com os países periféricos. Na segunda parte, entraremos no túnel do tempo e, junto com os pensadores pós-coloniais, buscaremos novos significados da oposição sobre a qual nos propomos a refletir: descobrimento versus encobrimento. Passaremos para questões semânticas e levantaremos argumentos contra a possível ação de encobrimento, vista como reflexo da subjetividade eurocêntrica universalizante. Nesse momento, apoiar-nos-emos nas idéias referentes ao poder simbólico e sistemas ideológicos produzidos por especialistas. Enfim, fecharemos o nosso raciocínio com a análise da proximidade dos programas de salvaguarda com políticas de reconhecimento e avaliação da sua capacidade de descobrir a alteridade.

Palavras-chave: Patrimônio imaterial; poder simbólico;  salvaguarda;  alteridade.

Link de acesso:

http://www.ram2009.unsam.edu.ar/GT/GT%2015%20–%20Patrimonio%20Mundial,%20Identidad%20y%20Derechos%20de%20las%20Comunidades%20Locales/GT15-Ponencia%20[Walczak].pdf

(41) Título: Imagens e Imaginários: do moderno ao pós-moderno.

Autor: Maria Beatriz Furtado Rahde; Flávio Vinicius Cauduro.

Tipologia: ( X) artigo  (   )monografia  (   )dissertação  (   )tese  (   ) outros

Procedência institucional: Compós - Revista da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação. Agosto de 2007

Quantidade de Páginas: 19

Resumo: As manifestações visuais do contemporâneo fazem parte da mídia, diariamente transformadas, como parte dos mitos do imaginário cultural e  social. Procuramos estabelecer algumas relações entre a cultura, o imaginário e as imagens da comunicação, do cinema, e das histórias em  quadrinhos, e seus reflexos no contemporâneo. Enfatizamos também as visualidades que permearam a modernidade e que apresentam outros  direcionamentos no imaginário da pós-modernidade.

Palavras-chave: Imagem – Imaginário – Moderno – Pós-moderno – Retórica visual

Link de acesso:

http://www.compos.org.br/files/30ecompos09_Rahde_Cauduro.pdf

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: